CRIAÇÃO

O BCA, sociedade anónima de capitais exclusivamente públicos, foi criado pelo Decreto-lei nº 43/93, de 16 de Julho, com o capital inicial de 500.000.000$00 (quinhentos milhões de escudos). Foi constituída, na mesma data, através do Decreto-lei nº 44/93, a comissão instaladora do BCA composta por 5 (cinco) membros, de entre os quais um presidente, nomeados por despacho do Ministro das Finanças.  
 
O primeiro Conselho de Administração do BCA iniciou as suas actividades no dia 1 de Setembro de 1993. Desde essa data, ocuparam o cargo de Presidente do Conselho de Administração os senhores:  
 
  • De 1993 a 1995 - Amélia Maria St'Aubyn Figueiredo  
  • De 1995 a 1997 - João Higino do Rosário  
  • De 1997 a 2000 - Adalberto Higino Silva  
  • De 2000 a 2006 - Antonio Miguel Ornela Afonso  
  • De 2006 a 2010 - João Henrique Real Pereira  
  • De 2010 a 2013 - Antonio Joaquim Sousa  
  • De 2013 a 2018 - Antonio Jose de Castro Guerra 
  • De 2018 a 2020 - Francisco Pinto Machado Costa 
  • De 2020 a presente data - Francisco Santos Silva 

O Decreto-lei nº 70/98, de 31 de Dezembro autoriza a alienação de parte das acções detidas pelo Estado no Banco Comercial do Atlântico, SARL (BCA). A Resolução nº 74/98, da mesma data, aprovou a regulamentação do concurso internacional para aquisição das respectivas acções, bem como a escolha dos parceiros estratégicos para o desenvolvimento das Instituições Financeiras do País.  
 
No âmbito dessa negociação, foi seleccionado como parceiro estratégico para o BCA o Agrupamento constituído pela Caixa Geral de Depósitos/Banco Interatlântico, que adquiriu 52,5% do capital do BCA, em Fevereiro de 2000.  
 
Em 27 de Novembro do mesmo ano, é alienado pelo Estado de Cabo Verde 25% da sua participação em "sessão especial de Bolsa" a pequenos investidores e trabalhadores do banco, dando assim cumprimento à segunda fase do processo de privatização.  
 
Assim, o sector financeiro cabo-verdiano alterou-se com a aquisição (de forma directa e indirecta) da maioria do capital social do Banco Comercial do Atlântico, da Garantia - Companhia de Seguros de Cabo Verde e da Promotora - Sociedade de Capital de Risco pelo Agrupamento constituído pela Caixa Geral de Depósitos/Banco Interatlântico.  
 
Deste modo, criou-se o maior grupo financeiro do país, o que veio permitir maiores sinergias nas actividades dessas instituições.

CAPITAL SOCIAL 

O Capital Social do BCA ascende a 1.324.765.000 (mil trezentos e vinte e quatro milhões setecentos e sessenta e cinco mil escudos) e em 31/12/2014 era detido pelos accionistas, em que se pode constar, as participações do Agrupamento Caixa Geral de Depósitos/Banco Interatlântico, do Instituto Nacional de Previdência Social (INPS), da Garantia- Campainha de Seguros de Cabo Verde e do Aeroporto e Segurança Aérea (ASA). 
 
As acções do BCA estão actualmente distribuídas da seguinte forma: 
  • 697.446,000 Acções, correspondentes a 52,65% pertencentes ao agrupamento Caixa Geral de Depósitos, SA/Banco Interatlântico, SARL; 
  • 89.504,000 acções, correspondentes a 6,76% pertencentes à CGD; 
  • 166.078,000 acções, correspondentes a 12,54% pertencentes à INPS; 
  • 76.322,000 acções, correspondentes a 5,76% pertencentes à Garantia, SARL; 
  • 28.780 acções, correspondentes a 2.17% pertencentes à ASA - Aeroporto e Segurança Aérea, SA; 
  • 27.418 acções, correspondente a 2.07% pertencente aos trabalhadores do BCA; 
  • e 239.217 acções, correspondentes a 18.05% pertencentes a Outros Accionistas (Público/Emigrantes). 
REDE DE DISTRIBUIÇÃO 

Na altura da transferência das funções de banco comercial do BCV para o BCA, a rede de distribuição bancária limitava-se a doze Agências e três prolongamentos: agências da Ribeira Grande e do Porto Novo - Ilha de Santo Antão, São Vicente, São Nicolau, Sal, Boavista, Maio, Fogo e da Brava, bem como da Praia, Santa Catarina e do Tarrafal - Ilha de Santiago e os prolongamentos de Mosteiros - ilha do Fogo, Tarrafal de São Nicolau e do Aeroporto Amílcar Cabral - ilha do Sal. 
 
O BCA que aumentou significativamente a sua rede de distribuição, conta actualmente com 31 o número dos balcões (29 agências e 2 são Gabinetes Empresas) instalado em todas as Ilhas e em quase todos os concelhos. A partir do ano 1999, apostando nas novas tecnologias introduziu as máquinas automáticas como mais uma opção para a diversificação dos canais de distribuição. Houve um crescimento significativo nos últimos anos, impulsionado tanto pela massificação do uso de novas tecnologias na sociedade cabo-verdiana, bem como pela política de dinamização dos canais não presenciais implementadas pelo BCA.