Mensagem do Presidente

.

O ano de 2020 ficará na história como o ano da Covid19, uma pandemia nunca antes vivida pelas gerações atuais e com uma novidade relativamente a todas as crises anteriormente vividas, de que temos memória, que foi o fato de ter afetado todos os países do mundo.
O Mundo não estava preparado para enfrentar esta pandemia, mas evidenciou uma capacidade notável para se adaptar e combater os seus efeitos.

No entanto, não se conseguiram evitar os efeitos nefastos das medidas implementadas, nomeadamente as medidas de confinamento que implicaram uma travagem da economia que provocou o aumento da incerteza, medo e ansiedade nas pessoas perante o futuro.

A realidade em Cabo Verde não foi diferente, agravada ainda pelas condições naturais de um país insular, muito dependente da indústria do turismo com uma economia muito aberta ao exterior e baseada essencialmente nos serviços, com as previsões do BCV de outubro de 2020, a apontarem para uma contração económica de 10,9% em 2020 e um substancial agravamento da Dívida Pública, para valores superiores a 150% do PIB. Recentemente, os meios de comunicação social divulgaram previsões ainda mais severas, feitas pelo Chefe do Governo, e que apontam para uma quebra de 14% do PIB em 2020, portanto, mais grave do que todas as previsões iniciais.

Neste contexto, muito adverso e totalmente imprevisto, o BCA foi sujeito a um teste sem precedentes na sua história: em pleno confinamento geral da população, promover uma reorganização de todos os seus processos para continuar a prestar um serviço essencial à comunidade.

Com este propósito foram readaptados e acionados os Planos de Contingência do Banco criando-se um Comité de Crise que numa fase inicial tomava decisões diariamente, orientado por dois propósitos: salvaguardar a saúde dos colaboradores e dos clientes, assegurando a manutenção do funcionamento. A este propósito, é de elementar justiça destacar a capacidade de adaptação evidenciada pelos Colaboradores do BCA a um contexto completamente novo e de grau de incerteza elevado.

Com o estabilizar da situação sanitária, surgiram as preocupações com os efeitos sociais e económicos resultantes do “fecho” da economia. As previsões de contração económica, aumento do desemprego e a consequente redução do rendimento disponível, colocaram sob alerta o sistema bancário, face ao risco de aumento do incumprimento no crédito.
A intervenção coordenada do Estado e do Banco de Cabo Verde, com a adoção de um conjunto diversificado de medidas, de entre as quais se destaca, pelo seu impacto no setor bancário, as linhas de crédito Covid19 e as moratórias, permitiram amortecer os impactos imediatos nos agentes económicos, nomeadamente Empresas e Famílias.

Acreditamos que o BCA correspondeu aos desafios inerentes à sua condição de Banco líder de mercado, tendo assumido uma posição destacada na colocação de crédito à economia, enquadrado nas linhas Covid19 até ao final de 2020, com um valor superior a 1 milhão de Contos (1/3 do sistema) e 261 operações (51% do sistema).

Igualmente ao nível das moratórias legais, o BCA assumiu uma posição relevante com um total de 5 milhões de contos em moratórias no segmento de Empresas e 1 milhão de contos em operações de Particulares, até final de 2020.

Os apoios referidos, em nossa opinião, foram muito importantes para mitigar os efeitos mais imediatos da crise económica nas Empresas e nas Famílias Cabo-Verdianas, embora nos pareça prudente não desvalorizar os riscos inerentes a esta conjuntura, que devem ser adequadamente geridos e planeados, numa lógica de antecipar as dificuldades que surgirão no período pós-moratórias.

O controlo de custos, muito ajudado pelas poupanças conseguidas pelo trabalho remoto de uma parte relevante dos nossos Colaboradores, associado a uma estratégia prudente na política de concessão de crédito e uma adequada cobertura do crédito vencido por imparidades, permitiu, ainda em 2020, absorver alguns dos impactos negativos da conjuntura atualmente vivida, sem comprometer os resultados alcançados que ficaram acima do realizado em 2019.

Efetivamente os Resultados Líquidos situaram-se em cerca de 1,5 Milhões de contos, cerca de 26% acima dos registados em 2019. O Rácio de ROE situou-se em 18,9%. Os Rácios de Transformação e Solvabilidade evidenciaram valores de 46,6% e 23,7%, respetivamente, consolidando uma situação confortável de liquidez e de capital.

No entanto, num contexto de pressão sobre as taxas de juro, nomeadamente ao nível das operações de crédito que, com a atual conjuntura económica, se deverá manter, nomeadamente sobre as operações de melhor risco, e com um nível de liquidez elevado, mas parcialmente improdutivo, tendo em conta o rácio de transformação, o desafio da rentabilidade irá continuar a fazer-se sentir em 2021.

O fim das moratórias, que se deverá iniciar em Junho e ficará concluído em Setembro de 2021, a incerteza sobre a retoma da procura no setor do turismo, com uma perspetiva de crescimento económico mais lento do que inicialmente previsto, mostram claramente que, mesmo com a esperada e desejada resolução da questão sanitária, através da massificação das vacinas, persistem ainda grandes desafios sociais e económicos.

Qualquer crise obriga a uma paragem na execução das rotinas diárias e a uma reflexão mais aprofundada sobre o futuro.

A experiência que temos vivido nesta crise mostrou-nos que a distância física não é tão limitativa como se pensava anteriormente e evidenciou oportunidades não exploradas, que podem ser aproveitadas, nomeadamente em Cabo Verde, um País com o território disperso por nove Ilhas e uma diáspora relevante espalhada pelo mundo.

A utilização das tecnologias de comunicação colocadas à nossa disposição poderá constituir uma enorme oportunidade para racionalizar custos, melhorar os níveis de eficiência, agregar mais valor aos acionistas e incrementar níveis de serviço aos clientes.
Sendo a Digitalização um dos pilares estratégicos para o futuro do BCA, e estando em curso um Plano de Modernização dos Sistemas de Informação, um dos mais interessantes desafios no período pós pandemia será o de criar condições para consolidar o teletrabalho como ferramenta para otimizar a utilização do capital humano e melhorar os níveis de satisfação dos nossos Colaboradores, pelo maior equilíbrio entre família e trabalho.

Ao nível comercial, o desenvolvimento dos canais digitais, poderá melhorar a utilização pelos Clientes dos canais à distância e focar as equipas dos pontos de venda num modelo de atendimento mais personalizado e diferenciado. Aliás, em 2020 a tendência de utilização de canais remotos intensificou-se um aumento das transações realizadas no BCA Directo superior a 30%, relativamente a 2019, com o número de transações a situar-se acima de um milhão.

O contínuo reforço da solidez do BCA, a capacidade de adaptação e a resiliência demonstradas no contexto muito adverso de 2020 e o foco estratégico do Banco, permite-nos olhar para o futuro com confiança e ter uma forte convicção de que sairemos dessa crise mais fortes.

Para concluir, gostaria de agradecer a todos os nossos stakeholders o apoio e confiança demonstrados no BCA. Desde logo as autoridades locais, com destaque para o BCV e o Ministério das Finanças, que mantiveram uma relação institucional construtiva e pedagógica, com um espírito colaborativo que deve ser realçado.

Aos nossos Colaboradores, que viveram um período complicado e de grande desafio profissional e pessoal, pelo profissionalismo, dedicação e espírito de compromisso evidenciados, que nos apraz registar.

Uma palavra de agradecimento aos nossos fornecedores pelo contributo prestado e pela capacidade de adaptação a circunstâncias nunca antes vividas, de quem esperamos, cada vez mais, uma relação de parceria mutuamente vantajosa.

Uma palavra de apreço aos senhores acionistas pela confiança e colaboração prestada à nova equipa de gestão, eleita em Junho de 2020, para o triénio 2020-2022.

Para concluir, um agradecimento muito especial aos nossos clientes, pela preferência que continuam a dar ao BCA, que muito nos honra e motiva para continuarmos a trabalhar no sentido de melhorarmos as nossas propostas de valor e qualidade de serviço.
 

Dr. Francisco Santos Silva
2021

Acessos Rápidos

SEJA CLIENTE BCA

Conheça as vantagens de ser cliente do BCA, comece aqui a sua relação com o nosso Banco.

FORMULÁRIOS

Encontre aqui os formulários de adesão para aderir aos vários produtos e serviços que o BCA tem à sua disposição.

MERCADOS

Consulte o espaço dedicado ao Mercado de Capitais em Cabo Verde.

BCA IMÓVEIS

Adquira um apartamento, uma casa, um prédio, ou um espaço para o seu negócio/escritório, através do BCA.

2016 Banco Comercial do Atlântico, S.A. - Todos os direitos reservados
Sede Praça Alexandre Albuquerque, C.P. 474  Praia, Cabo Verde,
NIF: 200151606
Telefone:(238) 260 46 60
bca@bca.cv